03-Luis Novaland-DIÁRIO DE BORDO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Missão 04 Ciêntifica - Acompanhamento e estudo do colapso das duas estrelas do sistema binário HM Cancri

Mensagem  luis novaland em Dom Out 09, 2011 9:34 pm

Missão 04 Ciêntifica - Acompanhamento e estudo do colapso das duas estrelas do sistema binário HM Cancri

Diario de bordo - Data estelar 20110814.20.30

Fomos enviados para o sistema binário HM Cancri com o intuito de presenciar um acontecimento cósmico de muito interesse científico. Trata-se da fusão de duas estrelas anãs brancas. Anãs brancas são estrelas no final do seu estágio evolucionário que se contraíram até alcançar o tamanho da Terra mas com uma massa semelhante a do Sol. Um sistema binário é um sistema composto por dois corpos celestes orbitando em torno de um centro de massa comum, ligados gravitacionalmente entre si. Faço um relatório para o capitão B7web Informo que sensores indicam que o ciclo de rotação das estrelas esta aumentando. Previsão de colapso total em 6 horas.

Diario de bordo - Data estelar 20110814.21.00 .

Informo que a sonda classe 2 esta preparada e pronta para lançamento. Capitão ordena o lançamento da sonda. Quando ela atinge a posição e esta informando transmito esta informação ao capitão. Capitão pergunta se estamos todos a postos. Informo que Ciencias esta OK. Quando falta 3 minutos para o colapso informo a tripulação.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.02.31.

Após a fusão tivemos uma perda dos escudos causada pela fusão das anas brancas.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.04.18

Capitão é chamado pelo Alto Comando da Frota Estelar e decide atender ao chamado em particular na sua cabine. Aguardamos o retorno do capitão na ponte. O capitão chega e ordena o lançamento da 2a Sonda Classe 2. Ordena também que façamos curso para o Sistema Veritas em dobra 9. Notei uma mudança da rotina de comportamento do capitão que normalmente discute as missões previamente. Acredito tratar-se de uma missão secreta que não pode ser revelada a tripulação.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.05.05

Capitão retorna a ponte. Pede que lancemos outra sonda classe 2. Faço este procedimento. Pede tambem que seja marcado curso para Sistema Veritas em dobra 9. Segundo a trigesima segunda diretriz, exceto em casos de extrema emergencia, nenhum capitão da Frota Estelar pode ordenar que sua nave viaje a velocidades superiores a Dobra 6 sem autorização expressa do Comando da Frota Estelar. Isso me leva novamente a pensar na natureza da nossa missão, no estado estranho do capitão e em ele não ter feito uma discussão previa sobre ela.
.
Diario de bordo - Data estelar 20110815.05.15

Acionada Dobra 9, rumo Sistemas Veritas.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.05.20

Capitão se recolhe a seus aposentos.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.21.05

Capitão volta a Ponte de comando.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.21.18

Chegada ao Sistema Veritas.

Diario de bordo - Data estelar 20110815.23.18

Tivemos encontro com os Ferengi. Eles vieram com uma encomenda para a Federação. Capitão informou a contra senha e eles nos passaram a encomenda. Capitão me pede uma analise da encomenda. Trata-se de uma camara de crio-estase. As leituras indicam sinais de vida baixos e estáveis. É um cardassiano. Capitão pergunta se podemos mante-lo neste estado. Informo que sim.


Diario de bordo - Data estelar20110816.01.45

Saída do Sistema Veritas, rumo DS-6 dobra 4.Srta Lara informou que a polarização do casco, estava comprometendo a estabilidade dos campos de dobra, não podendo ser utilizada dobra 9, e sim em no máximo dobra 4.


Diario de bordo - Data estelar20110816.10.08

Detectado Sinal de Socorro, vindo Nebulosa Kripton.

A caminho da DS-6 detectamos um sinal muito fraco de socorro
de uma nave da Federação vindo da nebulosa Kripton, mas não havia
como identificar de qual nave era devido a grande interferência no sinal
causada pela nebulosa. Não havendo outra nave no setor o Capitão ordenou que curso fosse alterado. Não podiamos negar socorro. Pela sexta diretriz: O pedido de assistencia de emergência por parte de cidadãos da Federação dos Planetas Unidos exige uma prioridade incondicional dos membros da Frota Estelar, os quais deverão responder imediatamente a este pedido, adiando todas as demais atividades. Por outro lado, pela diretriz 29, a maior responsabilidade de qualquer capitão de uma nave ou instalação da Frota Estelar é o bem estar e a segurança da sua tripulação, incluindo os membros civis. Não deve ser tomada nenhuma ação que possa originar uma ameaça indesejada para os indivíduos sob responsabilidade do oficial, excetuando no cumprimento do dever ou quando inevitável, Acho que podemos enquadrar o atendimento de um pedido de socorro neste hipótese. Nossa nave esta avariada e vulnerável a qualquer ataque, mas estamos atendendo a um pedido de socorro de uma outra nave da federação.

Diario de bordo - Data estelar20110816.13.10

Desviado rumo para Nebulosa Kripton.

Diario de bordo - Data estelar20110816.17.08

Chegando ao destino (nebulosa Kripton), trabalhei muito para conseguir identificar a origem do sinal. Com grande surpresa verificamos que a origem do sinal vinha da USS Primor, uma nave que estava desaparecida a mais de vinte anos e que estava agora localizada em um planeta. Situação muito estranha.
Capitão ordenou ao Sr Joseph liderasse um grupo avançado, composto por mim, pelo Sr Ekotay e pela Srta Lara. Deveríamos investigar a origem precisa do sinal e a natureza da emergência.


Diario de bordo - Data estelar20110816.19.10

Grupo avançado desce ao planeta para investigar USS Primor. Uma vez que devido a interferência da nebulosa tanto o sistema de comunicação como a de teleporte estavam comprometidos, utilizamos naves auxiliares e guiados pela experiência do Sr Ekotay, conseguimos chegar a USS Primor. Pilotei uma das naves. Tive dificuldade para ver o ponto certo de entrada no planeta. Nossa descida ocorreu próxima ao polo superior do mesmo.
Aparentemente não era uma nave desaparecida a mais de 20 anos... Isto tornava tudo mais estranho ainda pois aparentava estar em perfeitas condições. Parecia ter sido guardada em um estaleiro e colocada ali agora. Srta. Lara informa que o banco de dados da USS Primor esta completamente zerado. Tenho a impressão de uma nave colocada ali propositalmente. Talvez uma armadilha...


Diario de bordo - Data estelar 20110816.20.15

A tripulação desce ao planeta e nos informa que a USS NAUTILUS foi completamente destruida... Foi brutalmente atacada por 3 naves NEO-CARDASSIANAS e não havia resistido. Recebi ordens do capitão para procurar a possivel existencia na USS PRIMOR de uma arma NEOGENICA criada pelo dominio e também possiveis sobreviventes.



Diario de bordo - Data estelar20110817.00.01

Começamos então os reparos na USS Primor. Ela era nossa única
chance de retornarmos para casa novamente. Não havia como estabelecer
contato com o Comando da Frota devido a nebulosa. Era assustador o fato de
estarmos em uma nave na qual não se ouvia falar há anos e de cujos tripulantes nenhuma pista havíamos obtido. Então, quem havia mandado o sinal de socorro pois não obtivermos nenhuma evidencia de vida nesse planeta? Todos tinham essa mesma pergunta somada a vontade de retornar para casa. Gostaria de ressaltar que, apos analisar o planeta, não vi sinal nem da arma nem sobreviventes.


Diario de bordo - Data estelar20110823.10.30

A bordo da USS Primor, estamos em curso para DS-6, dobra 5.3
Srta Lara consegue restaurar as condições de suporte de vida da nave, os sensores,
motores, enfim só faltava mesmo os cristais de dilithium. Felizmente, se não
havíamos conseguido localizar vida nesse planeta, as jazidas de dilithium eram
abundantes e ela conseguiu localizar algumas proximas a nossa
localização e com a pureza adequada. O Capitão e o Sr Ekotay foram
imediatamente recolher o necessário. Graças as boas condições da nave e ao esforço conjunto de toda a tripulação podíamos voltar novamente para a casa a bordo da USS Primor.


Diario de bordo - Data estelar 20110824.12.00

De volta na DS6, Capitão nos chama para uma reunião. Nos informa que terá de passar por uma Corte Marcial. Ficamos preocupados.
Fizemos uma Cerimônia de despedida da USS Nautilus e dos tripulantes mortos.

" Aos bravos tripulantes e a USS Nautillus"

Computador encerrar gravação



luis novaland

Mensagens : 7
Data de inscrição : 15/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

diario de bordo data estelar 20110904.2030

Mensagem  luis novaland em Sab Set 24, 2011 11:41 am

diario de bordo data estelar 20110904.2030
Devido não haver missão com a Nautilus hoje, tivemos autorização para participar de outras missões. Me ofereci para ajudar o Capitão Elemer nas suas atividades. A atividade era ajudar no carregamento de materiais utilizando um novo tipo de nave auxiliar. Esta nave permite a acoplagem de um compartimento de carga. Ele permite duas cargas: uma mais externa e outra na parte interna do compartimento. Tem um dispositivo que sobe a carga e outro que a empurra para a parte mais interna. Precisa um pouco de pratica mas depois fica mais facil. Depois transportamos para um outro local onde pudemos trabalhar com um outro tipo de equipamento que permite colocar os materiais dentro de compartimentos. Achei uma atividade muito interessante trabalhar com este novo tipo de nave auxiliar pela experiencia pratica e com muito realismo de uma atividade de carga. Parabens pelo novo desenvolvimento.

computador encerrar gravacao

luis novaland

Mensagens : 7
Data de inscrição : 15/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

03-Luis Novaland-DIÁRIO DE BORDO

Mensagem  luis novaland em Ter Nov 16, 2010 9:28 am

Data estelar 101114.21.15

A missão de hoje foi uma revisão de todas as funções da nave, bem como treinamento de pilotagem e tiro. Acho importante que, mesmo sendo minha função canhoneiro, conhecer as demais funções para poder, em alguma necessidade atender outra função.

Citando funções mostradas, temos, por exemplo, para o piloto, a sequência de ligar motores (botão amarelo) e depois escolher empuxo ou dobra. Inicialmente levantar trem de pouso.

Para o tatico, a presença dos canhões invisíveis frontais e de retaguarda. Na falta dos canhões principais e para atingir alvos que venham pela retaguarda. Os botões F, S (fantasma e solido), que modificam a estrutura da nave. Já tive dificuldade quando a nave estava em modo fantasma. Foi no dia do comissionamento. Aprendi, também, a maneira correta de levantar da cadeira de canhoneiro saindo pelo lado esquerdo. Temos a função de detecção de formas de vida e objetos, que, na nossa missão de resgate da tripulação assimilada por Borgs, poderia ser importante para detecção de formas dos Borgs (não constariam como forma de vida). Ainda tem o mapa da região.

Para o canhoneiro, a função de selecionar os diversos tipos de bullets. Tinha descoberto e agora aprendi o uso do Hud que recebemos quando selecionamos o assento. Este Hud é importante para uso do phaser e para atingir alvos com a nave. Vimos, também, o chuveiro sônico que serve para desinfecção em missões que usamos traje espacial; o equipamento médico, que mede o tamanho e peso do tripulante e outras informações e a prisão da nave.
É importante, para o oficial responsável por cada função, informar ao comandante que cada ordem foi cumprida para que ele tome ciência de que a ordem foi realmente efetivada. Com isso ele não precisa, pessoalmente, verificar isto.

Após a passagem pelas funções da nave, fomos para o holodeck para treino de tiro e navegação. Inicialmente fizemos um treino atirando com a nave em alvos parados dentro do holodeck.Depois fizemos com alvos moveis. Comandante B7Web dirigiu naves servindo ele próprio de alvo. Na primeira vez na frente da nave e na segunda acima dela. A area de visão do canhoneiro da Nautilus é muito boa. Me permitiu ter sucesso em alvejar a nave acima da USSNautilus.

Fizemos um treinamento de navegação com as naves auxiliares associado com treino de tiro. Circulamos por dentro de anéis e, depois, em ziguezague, para, em seguida, enfrentar canhões de solo e, ao mesmo tempo, acertar alvos fixos. Aprendemos a atirar em movimento. Neste caso. temos que atirar em rajadas porque o movimento não permite mirar com precisão. Para atirar parado, aprendi a posição que atinge o alvo e consigo atingir quase 100% nos alvos parados, principalmente com torpedos. Pelo que aprendi, em períodos anteriores da Venture, os tiros eram dados de dentro da nave, utilizando armas de uso pessoal. Com a melhoria da tecnologia, as naves passaram a ter canhões externos. Hoje, se atiramos de dentro da nave, ela pode se destruir se acertarmos suas paredes. Aprendi, também, o empuxo que a nave tem quando atira quando fui piloto da nave auxiliar, obrigando o piloto a compensar este efeito. Este efeito poderia se maior de acordo com o tipo de bullet utilizado.

Foi muito importante o aprendizado esta noite e agradeço ao comandante a paciência e empenho em nos fazer melhores tripulantes.





Última edição por luis novaland em Dom Out 09, 2011 9:31 pm, editado 2 vez(es)

luis novaland

Mensagens : 7
Data de inscrição : 15/11/2010

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 03-Luis Novaland-DIÁRIO DE BORDO

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum